Imagem capa - Entrevista com María José Ovalle por Claudia Milani Fotografia
Para fotógrafos

Entrevista com María José Ovalle





Oi pessoal!


Hoje temos uma entrevista bem legal com a nossa convidada, a fotógrafa María José Ovalle, que estará em Florianópolis em abril para um workshop muito especial de fotografia artística infantil e de família. Nessa entrevista ela revela sua alma de artista, fala um pouco sobre sua história, como começou a fotografar, o que a inspira e o que aprenderemos no curso! Já dá pra perceber o carinho com que está preparando este Workshop. Lembrando que haverá material de apoio e tira dúvidas sobre o que foi estudado mesmo após o WS e que as aulas incluem teoria, prática e edição.


O Workshop já está confirmadíssimo e ainda restam algumas vagas, caso alguém queira se inscrever, basta entrar em contato! O valor pode ser parcelado nos cartões de crédito. Aproveite essa oportunidade para investir na sua carreira e na sua qualificação e valorizar ainda mais o seu trabalho!


Não esqueçam que estamos sempre à disposição para responder dúvidas e receber comentários!


Segue a entrevista para que conheçam um pouco mais sobre María José:

“ Obrigada Claudia por sua entrevista, espero que possa servir para quem esteja começando nesta maravilhosa arte que é a fotografia.”

1) Quando e como você decidiu começar a fotografar?


Eu sempre gostei de arte em todas as suas formas, especialmente desenho, pintura e fotografia.

Desde os 5 anos de idade, eu pintava em um caderno e fazia minhas próprias histórias e contos. Quando eu me casei e tive meus filhos, não tinha muito tempo livre, mas para relaxar comecei a pintar a óleo e depois com acrílico. No começo eu pintava paisagens e vasos, depois pessoas e mais tarde com acrílico eu decidi fazer uma pintura mais abstrata e moderna.

Quanto à fotografia, eu comecei muito jovem a tirar fotos de meus irmãos e então, quando me casei, comecei a tirar fotos de cada um dos meus filhos desde que nasceram, para lembrar de cada etapa de suas vidas.

Passei muito tempo tirando fotos sem ter muito conhecimento. Quando a caçula dos meus cinco filhos cresceu e se tornou mais independente, eu decidi estudar fotografia.


Comecei aprendendo a usar minha câmera e depois de 3 anos de estudos básicos, comecei a estudar online com alguns fotógrafos espanhóis, tudo relacionado a edição e programas como LR e PS por mais 2 anos.

Após 5 anos de estudo, comecei a fazer aulas básicas de fotografia e também a sessões familiares. Mais tarde eu também fiz sessões para lojas de roupas infantis.

Em 2016 viajei para Los Angeles, EUA, para participar do Workshop de Elena Shumilova, onde aprendi a administrar melhor os fundos, a luz, a contra luz; a importância das vestimentas e das cores.


2) O que te levou a escolher trabalhar com fotos infantis e de família?


Minha profissão é educadora infantil porque amo crianças. Após 5 anos na Universidade e 13 anos de trabalho, aprendi muito bem a conhecê-las e me apaixonei por esse mundo. Sua espontaneidade e sua maneira de atuar, tão natural e emocionante, tornam cada imagem um desafio! E eu adoro isso porque eles sempre expressam o que sentem. Comecei com eles primeiro, depois seus pais também queriam aparecer nas fotos, então comecei a fazer sessões familiares.


3) Que câmera você usa e que lentes você prefere?


Hoje eu tenho uma câmera Nikon D750 full frame com várias lentes, mas a que eu uso mais nas sessões é a 70-200 porque é muito versátil e me permite alcançar diferentes ângulos, próximos e distantes, muito rapidamente.


4) Por que você decidiu trabalhar com fotografias fine art?


Enquanto eu estava aprendendo a editar percebi que de certa forma fazia o mesmo que quando eu estava pintando a óleo ou acrílico. Eu procurava trabalhar luzes e sombras, trabalhava cada cor de acordo com o contexto da foto e, claro, o fundo, que para mim é muito importante, pois fornece todas as informações sobre o que está acontecendo na imagem. Desta forma, fui fazendo fotos que pareciam páginas de um livro e gostei muito disso, pois me fazia lembrar os desenhos e histórias que fazia quando era criança.

Devo dizer que o termo "Fineart" também significa "Belas Artes" e na fotografia aplica-se às fotografias que aspiram a ser obras de arte, de acordo com alguns fotógrafos. Mas a principal razão para uma fotografia ser considerada Fineart é imprimir em um papel chamado "Fineart" que possui características especiais, como espessura, fidelidade em cores, resistência à luz e durabilidade ao longo do tempo.


5) O que te inspira?

Eu acho que tudo me inspira ... desde uma árvore e tudo o que existe na natureza, como também as crianças, seus rostos, expressões, sua maneira de agir tão espontaneamente. Os animais são adoráveis e são um complemento perfeito para as fotos com crianças. Um determinado lugar em diferentes horas do dia tem tons, cores e luzes que se complementam com as crianças e animais formando uma imagem única.

Eu realmente gosto de fazer algumas fotos procurando o lugar certo, que tenha algum elemento especial que evoque um pouco o passado.

Se procuro uma imagem que pareça parte de uma história antiga, então eu me preocupo com a vestimenta das crianças para que sejam apropriadas para a situação que eu quero refletir. Complemento essa imagem com algum bichinho que pode integrar a cena, mas que também me ajude a fazer com que as reações das crianças sejam mais espontâneas, porque se distraem com eles e não se preocupam comigo.


6) Você usa paleta de cores?

Eu não uso paleta de cores, quando faço uma sessão, escolho um lugar que já tenha suas próprias cores e tons, seja pela estação ou pela tonalidade do próprio lugar. Eu gosto de aprimorar o que eu vejo e tenho no momento.

Minha estação favorita é o outono porque surgem os tons de laranja, vermelho e amarelo nas árvores, que me permitem trabalhar com tons quentes. O inverno aqui no Chile é bastante chuvoso e no lugar onde moro há muita névoa, então os tons mais frios aparecem, cinza, marrom, verde e azul.


7) Que fotógrafas ou fotógrafos você mais admira?

Há duas fotógrafas russas que eu realmente gosto, Karina Kiel e Elena Shumilova. Elas conseguem criar cenas em suas fotografias e transmitir sensações que, para mim, são como ler uma história.

Há também outros fotógrafos que são simples em suas composições com um trabalho de luz e tons que me fascinam, são Adrian Murray e Lilia Alvarado, cada um em seu estilo consegue transmitir algo especial com suas imagens.


8) Você trabalha com outros estilos? Que estilo de fotografia você não trabalha mas gostaria de aprender ou explorar mais?

Eu acredito que o estilo nasce da alma! Para mim, a fotografia é como pintar um quadro, você decide como deseja pintar, ou seja, sua edição é a sua pintura . Eu acredito que é algo muito pessoal. Eu realmente gosto das fotografias de paisagens de tipo HDR e também fotos de gastronomia, que também faço de uma maneira mais privada, mas em geral sou fiel ao meu estilo.


9) Você trabalha em estúdio ou somente em cenários externos?


A maioria das minhas fotos são externas, onde a principal protagonista é a natureza, porque, como mencionei anteriormente, acho que as próprias estações do ano e a diversidade de lugares permitem que você tenha um quadro divertido e diferente em cada sessão.


Eu também gosto de interiores como casas antigas, cozinhas e quartos que permitem montar um bom cenário para a sessão. Especialmente no inverno, já que às vezes o tempo não nos motiva tanto para estar fora.

Quanto aos estúdios, eu pessoalmente prefiro para retratos, porque os fundos não são os protagonistas.


10) Que conselho importante você daria para quem está começando a estudar fotografia? O que você diria para você mesma quando você começou se você pudesse voltar no tempo?


Para estudar fotografia, o principal é que você goste muito porque, como tudo na vida, você tem que dedicar muito tempo.

Eu creio que por mais workshops e cursos que você faça, você não conseguirá trabalhar nessa arte se você não praticar todos os dias!

Eu faço isso desde que comecei a fotografar profissionalmente, há 5 anos, e desde então não passo um único dia sem tirar uma foto. Às vezes são apenas paisagens, o céu à noite (estrelas), animais e flores ou simplesmente objetos como portas, janelas, etc. Desta forma, você aprende muito.

Eu diria para mim mesma que é muito importante ser fiel ao que você acredita e faz ... e que com esforço e dedicação você consegue lindos resultados.


11) Nos fale um pouco sobre o seu Workshop que ocorrerá em Florianópolis.

Bem, primeiro é uma grande honra fazer este Workshop com pessoas tão agradáveis e alegres como as brasileiras.

                 

Minha ideia é compartilhar minha visão de fotografia e minha maneira de preparar uma sessão, há muitos detalhes que são importantes para conseguir uma imagem atraente. Também aprenderemos sobre edição e algumas dicas indispensáveis sobre os fundos.


Eu acredito que sempre que compartilhamos conhecimento, nos enriquecemos mutuamente. Para mim também é um grande aprendizado e estou muito grata por esta oportunidade.


Um grande abraço para todos!


No vemos, com muita energia no próximo 20 de abril!